Tag Archives: escolhas

Mulheres: Ritos de Passagem

2 jul

A vida é um processo contínuo de evolução e descobertas.   Viver a vida alinhada com os  seus propósitos requer coragem para enfrentar com confiança o desconhecido.  

É preciso estar atenta ao “chamado interno”.  Ele vem de pressões internas e externas.  Uma sutil voz que sugere uma transição em determinados momentos da vida; um término e um início; uma mudança de postura; uma transformação da personalidade; um amadurecimento para o limiar de novas perspectivas.   

Ritos de passagem são pontos de término de um caminho para o inicio de um novo percurso, da mesma forma que a lagarta sabe o momento de se transformar em borboleta, por que há algo mais belo adiante.  Toda mulher, intuitivamente, sabe quando algo não está alinhado com quem verdadeiramente ela é.  Como a lagarta, ela deveria voltar-se para dentro dela mesma, num processo de autodescoberta, nem sempre fácil ou prazeroso, porém essencial para emergir dali uma linda e vibrante mulher com asas para voar.

Quando se busca segurança em coisas externas há uma tendência a comprar uma falsa ideia de controle.   É fundamental confiar na capacidade de conscientemente fazer novas escolhas.  Ninguém tem respostas prontas, a não ser aquelas que brotam de você mesma.  As respostas virão na medida em que haja movimentos para a sua elaboração.

Estabelecer uma nova sintonia com você mesma, onde antes o caminho estava bloqueado pelos seus próprios obstáculos, é condição para avançar.  Não há manual ou fórmula.  Cada uma tem seu próprio tempo e maneira de encontrar suas respostas.  O que está em questão são ritos de passagem, não procedimentos.  Quem segue os mesmos caminhos chega aos mesmos lugares, quem inova e arrisca trilha novos caminhos. 

Somos arquitetas de nossas próprias vidas.  A zona de conforto nos mantem inertes.  O primeiro passo é uma atitude mental.  Conecte-se com você! 

O que nos impede de viver o melhor da vida?

 

 

 

Anúncios

Pensamento do dia

29 out

O tempo todo temos escolhas de como usar nosso potencial. – autor desconhecido

Quais são os seus reais valores?

19 out

Primeiramente, é preciso descobrir o seu Eu verdadeiro. 

O seu Eu, é como você se sente quando ninguém está assistindo.  É onde vivem seus pensamentos mais profundos.  É o que você pensa de si mesma; em última análise, como você se trata.  Até mesmo, o que você teme que os outros vejam em você.  Essa é a sua personalidade mais real.

Os valores que adquirimos em vida determinam nossa maneira de ser, de estar no mundo, que culminam em nossos resultados nos relacionamentos, no trabalho e na vida como um todo.  Entretanto, muitos não sabem verdadeiramente quem são e por isso, acabam “se” perdendo.  A vida nos coloca face a face com diferentes circuntâncias, nos levando a entender que os papéis que vivemos são transitórios.  

Somos mais que os papéis que representamos em nossas vidas.   

Quais são seus valores?  Não aqueles impostos pelo mundo exterior, mas os seus reais valores.  

O que realmente importa para mim?  O que estou fazendo com a minha vida?  Para onde estou indo a partir das minhas escolhas?

O ideal é que cada pessoa busque/descubra os seus valores internamente.  Essa é uma jornada invisível de sentimentos, de aprendizado, e de auto-conhecimento; crescimento.  Não se trata de renegar os valores formados à partir da nossa história de vida, mas de reavaliar o que realmente nos serve  nesse momento e descartar aquilo que não mais encontra ressonância em nosso coração.

O importante de descobrir seus valores é que a partir do momento que você começa a fazer escolhas de caminho, baseado em quem verdadeiramente é, e no que você acredita, o caminho se abre em maiores chances de você alcançar o seu destino esperado.

Com o tempo aprendi a me fazer um monte de perguntas, estou sempre disposta a aprender algo novo.  E mesmo assim, não tenho muito claro se é o meu questionamento que me faz aprender mais ou é o meu aprendizado que me faz questionar tudo!   No entanto, os dois me fazem crescer.

  • Ouça o seu coração – Confie em seus sentimentos; o que é diferente de emoção.
  • Fé – Não a religiosa, mas a fé em algo maior, a fé em si mesma.  Acreditar em algo que não se pode ver com os olhos.  Aquela força que nos faz enfrentar os desafios da vida, superar obstáculos, e vencer aquilo que mais temíamos.
  • Seja íntegro – Nas pequenas e nas grandes atitudes.  Aprenda com os erros do passado, e dos outros.  Viva sua vida em paz e melhor.
  • Respeite seus valores e metas – Esse provavelmente é um dos aspectos mais importantes para você ficar em paz consigo mesma.  Se você não respeitar o que é importante para você, a longo prazo você poderá se colocar sob o risco de se tornar “escrava” de situações e/ou de pessoas que poderão te manipular.  Evidente, que é preciso ser flexível porém, até certo ponto.  Tudo tem limite.  Para permanecer fiel à mim mesma, às vezes tenho que desapontar os outros.
  • Valorize-se – Não existem duas pessoas iguais…nem eu, que sou gêmea.  Somos únicos.  Confie em você mesma.  Definitivamente te fará sentir-se uma grande mulher.  Seja a sua melhor versão!

Redescubra-se!

 

Se você gostou desse post, quiser comentar sua experiência aqui ou compartilhar esse link com seus amigos, será um prazer!

Por aqui ou por ali…?

19 ago

Às vezes ficamos presos em nossos pensamentos.  Criamos nossos “próprios monstros” que parecem nos impedir de agir. 

A incerteza sobre qual caminho seguir, faz parte do processo de descoberta.  Porém, é preciso agir, dar um passo e depois outro; mesmo que ainda não tenhamos muito claro o caminho que iremos seguir.

A clareza de pensamento vem, à medida que nos envolvemos com alguma coisa.   Só pensar não trás resultado.  É preciso agir, em uma ou outra direção.   A partir desse movimento é possível sentir a nossa escolha, saber se estamos no caminho; e então, decidir seguir em frente ou deixar passar.

Em um determinado momento da minha vida, precisei tomar uma grande decisão.  Não sabia qual caminho seguir.  Tudo parecia confuso, estava insegura, não conseguia exergar adiante…Quando um dia, uma amiga me fez a seguinte pergunta:  “Se você escolher seguir por esse caminho, em 5 anos, como você vê a sua vida?”  Sem que eu tivesse tempo de responder à mim mesma, a primeira pergunta, ela completou: “E se optar por esse outro caminho; é o que você realmente quer para a sua vida?”

Olhar para a frente, fez toda a diferença na minha escolha! 

Se pensarmos adiante, projetar nossa vida para daqui  5 ou 10 anos, esse exercício nos ajudará a tomar decisões mais claras.  Quando visualizamos o cenário com base na realidade atual, fica mais fácil entender aquilo que precisa ser mudado hoje, para alcançar determinado objetivo “lá na frente”.

Há uma frase que eu gosto muito:  ” Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno” – Regina Brett

O que você temia, e que no final acabou sendo mais fácil do que você imaginava?  Vou adorar ouvir sua experiência!

Tenham todas um lindo final de semana!

Bj grande

Money Bags & Símbolos da Sorte

7 jul

Aproveitando que estamos no mês de Julho; e a “onda” de e-mails que andam circulando por aí, resolvi escrever um post sobre: Money Bags!

Isso mesmo, já ouviu falar?

A história é mais ou menos assim:   Diz a lenda que…”a cada 823 anos, acontece um fenômeno raro denominado Money Bags.  O que é isso?  São anos considerados “específicos” que se caracterizam por terem alguns meses com: cinco sextas-feiras, cinco sábados e cinco domingos”.  Seguindo essa “linha de raciocínio”,  estamos exatamente em um desses meses: Julho/2011 – Money Bags!”

Será?  Em uma breve pesquisa que fiz, revelou que esse “fenômeno” acontece com muito mais frequência que 823 anos.  Ou seja, o mesmo calendário aconteceu em 2005, 1994, 1988, 1983 e voltará a acontecer em 2016, 2022, 2033…A verdade é: todos os meses com 31 dias que iniciam numa sexta feira, terão cinco sextas, cinco sábados e cinco domingos.

Agora, se o intuito for encontrar um símbolo da sorte para “equilibrar a vida”, – após fazer uma reflexão interior para identificar o que não está bom, e o que pode ser mudado –,  aqui vão algumas sugestões:

O Feng Shui é uma técnica chinesa de harmonização e equilíbrio de ambientes,  estuda e procura ativar as áreas e energias de prosperidade que circulam e existem em nossas casa.  Na cultura chinesa, a imagem do Buddha é símbolo de amor, paz e felicidade.   Entre as várias imagens de Buda, existe uma que é conhecida como Buda da prosperidade, aquele que está sempre sorrindo.

Elefante: muito usado para atrair riqueza e prosperidade.  Alguns carregam na bolsa ou chaveiro. O mais comum é ter em casa ou trabalho
sobre a mesa. Em geral, ficam de costas para a porta de entrada, pois dizem que nesta posição atrai sorte.

Sol: é um dos simbolos universais de prosperidade, sorte e proteção. Em muitas culturas, o sol simbolizava a vida, as divindades e o ouro. Ter um sol sempre à vista, representa ter luz no ambiente.

Peixes: para os orientais é um símbolo de riqueza e abundância. Podem também significar fertilidade.

Moedas da sorte: representam riqueza e bens materiais. Atraem bons negócios e prosperidade. É muito comum ter em casas orientais três moedas chinesas presas no meio por um cordão vermelho.

Trevo de quatro folhas: é um dos símbolos mais antigos para atrair boa fortuna. Dizem que quem acha um trevo de quatro folhas terá sorte eterna.

Sapo da fortuna: muito usado para atrair riqueza.

Fica a dica!

O Caminho do Meio

10 jun

Eu devia ter uns quatro anos quando percebi que era capaz – com ajuda da minha mãe -, me equilibrar em cima de um murinho no clube, enquanto caminhavamos lado a lado.  Talvez eu fosse menor ainda, não tenho muita certeza.   Lembro da sensação que sentia ao soltar as mãos.  Por alguns segundos meu corpo balançava, meus pezinhos se revezavam num pedacinho de muro e com os braços abertos, eu reencontrava o equilíbrio.   Aquela brincaderia durou alguns anos.   Até que num determinado momento, adquiri consciência de como me equilibrar sozinha.

Muito tempo se passou.  Os desafios eram outros.   Eu era uma mulher adulta, formada, descasada, mãe de um casal de filhos pequenos.   O trabalho tomava grande parte do meu dia e do meu final de semana.  Dar conta dos múltiplos interesses, numa época em que a mulher contemporânea vive tantos papéis diferentes, não foi fácil.  Sem contar a dificuldade/habilidade  para lidar com os excessos de informações, escolhas “de mais” e novas maneiras de se relacionar no mundo com as novas mídias.

Uma lista enorme de “to do“:  “1001 Livros Para Ler; 1000 Lugares Para Conhecer; 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer”… É humanamente impossível fazer tudo numa única vida.  Portanto, escolher entre dez coisas e fazer bem feito, sem culpa, dando o melhor de si  já é um bom começo.

Para que isso acontecesse era preciso definitivamente encontrar meu próprio equilíbrio pessoal, familiar e profissional. Sem me sentir culpada por não atender a tudo e a todos, e a todo momento.  Afinal, todos temos nossos limites independente de gênero. É uma questão de responsabilidade, inteligência e sabedoria/intuição.

Aprender a delegar, faz parte desse aprendizado. A participação do homem dentro de casa, é tão importante quanto a entrada da mulher no mundo profissional.

Nesse período,  procurei exercitar diariamente minha busca pelo equilíbrio entre as múltiplas funções que eu desempenhava no cotidiano. Compreender que para conseguir uma vida equilibrada – no mínimo, um pouco mais do que a que eu vivia – era preciso primeiramente aceitar que aquele estilo de vida não estava me fazendo feliz.  E então, coragem para mudar.

Quando sentimos convicção da mudança que queremos promover em nossas vidas, “mãos” são estendidas em nossa direção. Pessoas que estão de fora, normalmente conseguem enxergar melhor o cenário.

Não foi fácil, porém necessário: fazer novas escolhas, abrir mão de outras, aceitar aquilo que – naquele momento – eu não poderia mudar fez parte desse processo.

Mais tarde, pude compreender melhor que esse movimento interno era fundamental para eu tivesse uma vida mais equilibrada, harmoniosa e feliz; mesmo em meio às adversidades da vida.

E você, concorda que somos o resultado de nossas próprias escolhas?

O Poder da Escolha

8 jun

Temos capacidade e responsabilidade para escolher se nossas condutas nos levarão para um caminho virtuoso ou não.  (Dalai Lama)

Mudança de Perspectiva

17 maio

Adorei esse video.  Muito bacana a forma como foi escrito. 

Me chamou atenção sobretudo, no que se refere às perspectivas de vida: compreender de outra maneira antigas questões; enxergar a vida com novos olhos; dar novo sentido à vida.  Pena não estar em português, também. 

Anyways…vale a pena conferir! 

Mas antes, uma breve informação:  Um palíndromo é uma palavra, frase ou qualquer outra sequência de unidades que tenha a propriedade de poder ser lida tanto da direita para a esquerda como da esquerda para a direita.  Ex: ovo, osso, radar.  Num palíndromo, normalmente são desconsiderados os sinais ortográficos (diacríticos ou de pontuação), assim como o espaços entre palavras.  O mesmo se aplica às frases como: “Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos” e “Anotaram a data da maratona”. 

A vida é cheia de novas possibilidades, perspectivas.  Qual a sua escolha?

%d blogueiros gostam disto: