Arquivo | Família RSS feed for this section

Vinho & Vida: A arte em harmonizar

6 ago

O fundamental na arte em harmonizar vinho e comida é o equilíbrio entre ambos ; um não deve se sobrepor ao outro.  E quando se trata de celebrar uma data importante, você se (pré) ocupa em harmonizar esse momento também?

Há uma semana de comemorar meu aniversário, não sabia exatamente onde iríamos .  Os lugares que eu havia pré-selecionado não se encaixavam com a sensação que eu tinha em mente.  Afinal,  aniversário não é apenas uma mudança de idade mas a comemoração da nossa vida, sobretudo, o início de um novo ano pessoal.  aqui comento mais sobre isso 

Pensei em um ambiente familiar, um lugar que me trouxesse boas lembranças, como por exemplo os restaurantes que eu costumava frequentar com meus pais, não necessariamente os mesmos.  Um ambiente bonito e sofisticado, agradável e tranquilo onde pudéssemos conversar a vontade sem ser incomodados pela mesa ao lado.  Quando pensava nisso sentia a harmonia e sintonia entre mim e meus convidados que sentados em volta de uma mesa, ampla e redonda, aproveitávamos esse momento especial.   Não há nada de errado em visualizar, certo? 🙂

Na manhã seguinte acordei com uma forte intuição.  Ter identificado o lugar para comemorar meu aniversário, me deixou ainda mais animada.   Ao acessar a página do restaurante gostei do que vi: menu, ambiente, decoração, localização…tudo perfeito para aquele momento.  Reserva para sábado à noite!

Manhã do meu aniversário.  Depois daquele curto e intenso período de inverno o sol apareceu para iluminar o dia.  E que dia maravilhoso!  Me senti como quando criança, aguardando ansiosamente para a data chegar.

Era noite quando saímos de casa a caminho do restaurante.  Coincidência ou não passamos em frente à igreja onde meus pais se casaram.  Aproveitei para mostrá-la aos meus filhos.  Minha mãe, que estava conosco, comentou sobre a primeira casa que eles moraram, ali, no mesmo bairro, na mesma rua do restaurante.   Sugeri após o jantar passar em frente a casa.  Em poucos minutos entramos na Rua General Mena Barreto, uma rua arborizada, tranquila e charmosa.  Ao diminuir a velocidade do carro, minha mãe imediatamente identificou a casa.  Apontando para o local, notei que a tal casa ficava exatamente onde hoje existe o restaurante, e que, intuitivamente escolhi.

Entrar pelo antigo espaço da “varanda” e que agora abriga o bar do restaurante, foi surreal.  Caminhar pela “sala de estar” transformada no salão principal e, imaginar o janelão de vidro no atual espaço do jardim interno, enquanto minha mãe descrevia cada detalhe do lugar, foi incrível.  Fomos levados à nossa mesa, detalhe…redonda, ampla e muito bem localizada.

Tivemos uma noite especial.  Tudo estava em perfeita harmonia, nada fora do lugar.  Definitivamente, uma comemoração para ser brindada e sempre lembrada.

Aprendi com essa experiência o quanto podemos ser intuitivos.  Seja a partir de uma sensação (como essa que eu tive), de um pensamento ou de um insight.  A questão é harmonizar, encontrar o equilíbrio entre todas as coisas.    

E você, tem dado atenção para o que o seu corpo e mente estão tentando lhe dizer? Deixe um comentário no blog para que eu conheça a sua experiência.

Beijos!

* imagem: tirada na noite do jantar

O nome do bebê é…

11 maio

Escolher o nome do primeiro filho (a) não é uma tarefa fácil, além de exigir muita responsabilidade dos pais.   Pois, essa é a primeira herança que ele (a) receberá, e assim será apresentado (a) à vida. 

Há quem escolha o nome do bebê antes mesmo dele (a) nascer, por outro lado, há os que vivem uma dúvida cruel, por meses, e optam em esperar o nascimento para ver a carinha da criança.  

O fato é, na hora de escolher o nome do bebê, o bem-estar da criança é o mais importante.  Ao escolher um nome, pense na criança e, no futuro adulto, não só no bebê.  Pense, se ela vai se sentir confortável durante a vida sendo chamada pelo nome escolhido por vocês. 

Minha sugestão é, faça uma lista com os nomes que você mais gosta: filhos de amigos, parentes…  Pesquise também os nomes mais usados na escolinha que os filhos da sua amiga frequentam.  Vá há uma livraria, há vários livros de nomes de bebês. 

Eu tenho um casal de filhos, e sei exatamente o que é isso.  Escolher o nome do (a) filho(a), requer paciência e muito amor. 

Nomes do Futuro

Que tal uma dica para o nome do seu futuro bebê?

Em uma matéria, publicada pela Folha de São Paulo, crianças com os nomes: Pietra, Luiza, Enzo e Lucca, dentre outros com inspiração italiana, deverão virar tendência nos próximos anos.

De acordo com estudo feito pela Universidade de São Paulo (USP), aponta uma lista de nomes em ascensão, de origem italiana, adotados pelos pais das classes mais ricas, na década de 1990.  Já os nomes mais comuns nas escolas de SP atualmente: Lucas, Gabriel e Beatriz poderão dentro de pouco tempo, ser únicos nas listas de chamadas das salas de aula.

Confesso que ao escolher os nomes dos meus filhos, não priorizei a origem mas outros aspectos que, na época, fizeram mais sentido para mim, como: significado, som, pronúncia, beleza do nome… (evidente que a escolha foi do casal).  O fato é, os dois nomes que escolhi são de origem italiana.  De acordo com a imagem (abaixo) um faz parte dos nomes classificados como “hoje” e o outro está em “próximas décadas”.  

Pelo que tudo indica, os nomes italianos deverão dominar as listas de presença nas salas de aula.

E você, já encontrou um nome para o seu bebê?

Semelhança & Sintonia

11 maio

A cada dia me pareço mais com minha mãe… O que não poderia me deixar mais orgulhosa!

Breakfast: para o dia nascer feliz

23 mar

imagem: Catherine on Flickr

Sexta é um ótimo dia, sobretudo, porque podemos desacelerar um pouco e aproveitar o fim de semana com a família e amigos. Balada?  Não, café da manhã!

Pelo menos, uma vez na vida ouvimos falar da importância do café da manhã. Além de ser a principal refeição do dia é preciso que seja, no mínimo saudável e tranquila.   Se você é da turma das que pulam o café da manhã, seja porque acordou sem apetite ou porque vive numa correria e acaba saindo de casa com uma fatia de pão na mão, ou pior, de estômago vazio… Chegou a hora de rever seus hábitos! 

A refeição matinal é essencial não só para garantir o pique do dia-a-dia, como também ajuda a garantir um peso mais equilibrado.   Sabe porque? O hábito de tomar o café da manhã acelera o nosso metabolismo.  Já o contrário, começar o dia em jejum obriga o organismo a economizar energia, resultando em um gasto calórico menor e diminuindo assim, as chances de eliminar as gordurinhas. 

E então?

Evidente que durante a semana nosso ritmo é outro, mas se pudermos, ao menos no final de semana, estabelecer a prática de tomar um bom café da manhã, aos poucos isso acaba se tornando um hábito.  Aliás, um dos mais saudáveis.

Mesa

Uma mesa bem servida também ajuda a despertar a vontade de tomar o café da manhã.  Não precisa ser nada sofisticado, mas a ordem e a organização na hora de servir uma linda mesa, faz toda a diferença.  Uma toalha bem passada, cestinha para o pão, bowls para o ceral, xícaras, pratinhos… e porque não, uma florzinha como decoração!  

Eu acredito na importância desses detalhes.  Eles nos passam uma mensagem subliminar, provocando uma resposta positiva em nosso estado de ânimo.  Acho uma delícia me reunir com meus filhos e meu marido, nas manhãs de sábado e domingo, para um café da manhã em família.

“Para o dia nascer feliz”, escolhi algumas sugestões de decoração para a mesa do café da manhã.

Inspire-se e…

Bon Appétit

 

Do livro: The Art of Breakfast

imagens: reprodução

Leia também:

Uma “cena” com aspargos

Time is Nothing

27 jan

Conhecer novos lugares e diferentes culturas, adquirir conhecimento e fazer novas amizades são experiências valiosas que trazemos de uma viagem.     Foram necessários 343 dias para visitar 17 países, 19 vôos, 58 ônibus, 18 barcos, 6237 fotografias para o fotógrafo Kien Lam criar esse vídeo incrível! 

 

*música: “Places and Faces”

Pequeno gesto e uma grande emoção…

6 dez

Presentear é sempre muito especial. 

Quando compro presentes, faço com o coração, pensando na pessoa que irá recebê-lo.   Não deixa de ser um exercício de amor e carinho…

Halloween: Jack O´Lantern

28 out

A mais famosa referência do Halloween é a abóbora oca, com orifícios cavados e aparência feliz ou “demoníaca”, denominada Jack-o-Lantern.   

Na minha adolescência tive oportunidade de celebrar essa data, tipicamente americana, vivenciando esse processo desde o início.  Ir à uma plantação de abóboras e encontrar uma bem grande, imaginar  uma carinha para ela,  decorar a casa e preparar comidinhas gostosas para então, vestir minha fantasia e,  reunir a turma de amigos em busca de “trick-or-treat” – doces ou travessuras.  

Boas lembranças!

Atualmente, o Halloween é um evento que está inserido em vários países, inclusive no Brasil.   Esse é um bom pretexto para crianças e adultos se divertirem juntos!    

Faz bem para a alma & coração… principalmente para a relação.

Como fazer uma abóbora de Halloween?

O primeiro passo é fazer uma abertura razoavelmente grande na parte de baixo da abóbora.  Lembrando que é por essa abertura que será colocada a vela que irá iluminar a carinha.

Retire a polpa e as sementes do interior da abóbora.  Reserve-as para utilizar em alguma receita.  As sementes, se bem conservadas, poderão durar muito tempo.

Desenhe em uma folha de papel a carinha que desejar para sua abóbora: feliz, assustada…e então cole com fita adesiva, o rostinho na abóbora.   Então, com a ajuda de uma agulha grande faça pequenos furinhos em todo o entorno da boca, olhos e nariz, conforme foto.  Os furinhos precisam estar bem próximos uns dos outros para que facilite no momento em que for cortá-la.

Agora sim, comece a moldar a carinha cortando o pontilhado com a ajuda de uma faca.

Para finalizar coloque uma vela dentro da ebóbora (em um potinho de vidro) para não queimar.  Uma lanterna ou luzinhas de natal darão também um ótimo efeito.

Enjoy!

Maternidade sem culpa…é possível?

10 out

Se você pudesse voltar no tempo…antes de ter seu primeiro filho; que conselho daria à você mesma?

Tenho um casal de filhos e como a maioria das mães, também vivi sentimentos de culpa quando eles eram menores.  Queria suprir todas as necessidades deles, dar conta de tudo, estar disposta para brincar com eles após um dia intenso de trabalho…Enfim, educar esse serzinho lindo e dependente que são nossos filhos, não é uma tarefa fácil.  Aliás, ainda hoje e com filhos maiores, lido com essa questão.

A verdade é que não há como suprir todas as necessidades deles, sejam elas: físicas, emocionais ou sociais. 

Nos dias de hoje, as diversas funções das mulheres que além de mães, são provedoras também, cria situações ainda mais angustiantes como a falta de tempo e de disposição para ficar com os filhos; decorrente do estresse e da sobrecarga de trabalho, por exemplo. 

Surge então, um sentimento nada agradável…a culpa. 

Inconscientemente, a mulher se considera onipotente no papel de mãe.  Talvez pelo fato de dar a luz a uma nova vida, e aqui, não me refiro necessariamente em gerar uma vida, mas também formar um ser.  Por conta disso, a mulher tende a se tornar “soberana”.   

A dinâmica do dia-a-dia nos apresenta um cenário completamente diferente e nem sempre “ideal”.   Surge a angústia, culpa e sentimentos contrários ao que espera-se viver na maternidade.  A mãe, por pensar que está fazendo menos do que deveria pelos filhos, começa a achar que falhou.  Entretanto, esse é um processo natural pelo qual toda mãe passa.   A perfeição não existe…o nosso melhor, é o melhor! 

Embora, a estrutura familiar tenha mudado nos últimos tempos e continua mudando, (o que é bom) muitas mães  ainda sentem-se como as principais responsáveis pelos filhos.  Então, assumem um papel maior do que poderiam ou deveriam. 

Mas nem tudo está perdido (ainda bem), porque a frustração embora seja um sentimento desagradável, é necessário.  Aprender a lidar com sentimentos negativos é parte importante no processo de rever nossas atitudes.  É preciso compreender que nem tudo acontece conforme planejamos, porém, mesmo assim, é possível curtir cada fase dos nossos filhos com alegria e leveza. 

Lembre-se, corrigir o que precisa ser corrigido e, sobretudo, desfrutar dessa relação tão linda e delicada!

“Seja mais leve, não se cobre tanto assim!”  Esse seria o conselho que eu daria à mim mesma…

E você, que conselho daria? 

Esse vídeo faz uma linda reflexão sobre a maternidade!

Enjoy! 🙂

vídeo: Reflections of Motherhood

Esmalte do dia: Infância colorida

3 out

Esmalte sempre foi um dos produtos mais usados pelas mulheres.  Unhas bem feitas, mãos macias e bem hidratadas despertam a atenção de qualquer pessoa.  Entretanto, eles também são os preferidos de muitas meninas que acham divertido e sentem-se mais up to date com as unhas pintadas, especialmente com cores vivas.

Mãe, quando eu vou poder usar esmalte colorido?”, perguntou minha filha.  Confesso que me pegou de surpresa.   Sempre usei esmaltes clarinhos.  Comecei a ir à manicure por volta dos 13, 14 anos de idade…adorava estar com as unhas bem feitas e bonitas para sair com minhas amigas no final de semana.  Mas agora a questão era outra…minha filha quase pré-adolescente estava me pedindo para usar esmalte colorido.  As adolescentes ficam lindas com seus esmaltes coloridos, mas para uma menina mais nova…Não seria cedo demais? 

Pedi um tempo para pensar e “pesquisar” sobre o assunto.  Comecei então a observar com um olhar mais atento todas as mãozinhas que via pela frente: na escola, família, no parque e, também em revistas teen.  Conversei com outras mães, terapeutas e pessoas mais velhas.  Minha preocupação era não pular etapas na educação da minha filha.  Entretanto, era preciso me posicionar com uma mente mais aberta diante de novos valores…

As crianças estão sendo expostas a uma mídia que exalta a beleza, e isso acaba influenciando essa geração de meninas.  A infância, hoje em dia, está menor porque as crianças querem se transformar em adolescentes logo; em contra-partida, a adolescência está aumentando.  Por isso é fundamental estimular a criança a ser criança, brincar e se divertir muito.  

Tenho visto, cada vez com mais freqüência, meninas pequenininhas muito produzidas.   Ontem mesmo, entrei numa loja infantil e vi uma bebê no carrinho.  Quando me aproximei para pegar um produto, vi as unhas minúsculas dela pintadas de vermelho!  A criança não tinha mais que dois aninhos.  Acho isso desnecessário, primeiro porque a criança não entende nada;  segundo porque esse incentivo da mãe poderá repercutir de maneira negativa lá na frente.  É inconsequente sensualizar as crianças desde cedo. 

Não sou contra estimular a vaidade natural das meninas.  Aprender a se cuidar é sinal de carinho e respeito com elas mesmas, porém sem excesso.  Imagine alguém deixar de brincar porque as unhas estão feitas, ou não pular na piscina para não estragar o cabelo.  Lembro na minha adolescência de ter acabado de secar o cabelo.  Ele estava liso e bem hidratado; lindo.  De repente minha irmã entrou no quarto correndo e me chamou para pular  na piscina…  A noite estava linda e, minhas amigas tinham acabado de chegar… Não pensei duas vezes.

Com jogo de cintura, sinceridade e uma boa conversa, a gente consegue fazer com que nossas filhas entendam determinados valores, essenciais para suas vidas..

Passado pouco tempo, minha filha e eu saímos juntas.  Sem que ela soubesse qual seria o nosso destino, paramos em frente a uma perfumaria…  Seus olhinhos brilharam imediatamente;  um sorriso fortuito surgiu em seus lábios assim que ela viu a prateleira repleta de esmaltes coloridos.   Impossível não lembrar essa emoção.  Entre vários vidrinhos e muitas opções de cores passamos um tempo mágico e delicioso escolhendo a cor que mais combinava com ela, e com aquele momento.   Minha filhota saiu de lá com uma sacolinha contendo um “rosa chiclete” e “algodão doce”; esta é uma opção mais clarinha.  Os tons mais escuros nem sempre destacam e combinam com a doçura e a beleza das meninas pré-adolescentes.

Para o aniversário da minha filhota, fizemos saquinhos coloridos de organza e, dentro dele colocamos vidrinhos pequenos de esmaltes de várias cores, junto com mini lixinhas para distribuir entre as amigas.  Foi um sucesso!

Para as crianças ainda menores, há algumas marcas que desenvolveram esmaltes atóxicos, pois esmaltes comuns podem causar alergia e contém substâncias químicas que podem ser prejudiciais às crianças.  Pensando no dia das crianças, uma sugestão bacana são os esmaltes para esse público infantil.

A Piggy Paint é uma marca americana criada por uma mãe de duas meninas pequenas.  A marca é conhecida pela diversidade de cores e responsabilidade com as crianças.  São produtos a base água, atóxicos e inodoros.  No Brasil, a nova coleção de esmaltes da turma da Monica Jovem – TMJ acabou de lançar 17 novos tons, além dos oito já existentes.  A Impala também criou uma cartela com cores lindas.

Piggy Paint

TMJ

Impala Kids

Dicas para meninas:

  • Não deixe de brincar para não estragar o esmalte.  Meninas, sejam crianças!
  • Quando o esmalte começar a sair, tire o restante imediatamente.  Esmalte descascado fica feio e, fora de moda
  • Ir à manicure é muito bom, mas não deixe que isso vire uma obrigatoriedade para você, que ainda é criança
  • Use e abuse das cores vivas e das clarinhas; evite as escuras.  Você terá muito tempo para usá-las
  • Curta essa brincadeira de unhas coloridas.  Esse momento é único!

Leia também:  Meninas: Beleza & Insegurança

Portão de embarque

8 ago

Viajar é muito bom! 

Seja ela curta ou longa; perto ou distante; nacional ou internacional não importa…Entrar em contato com novas culturas, conhecer pessoas, visitar lugares…considero essas, experiências únicas e fascinantes!

Inspirada por uma recente viagem, resolvi postar esse vídeo de uma série de três:  “Move”, “Eat”, “Learn”.  Que registra as experiências de um grupo de amigos durante suas viagens ao redor do mundo. 

Muito bacana! 

Boa viagem!

%d blogueiros gostam disto: