Conversa de boteco vira sentença na justiça

28 abr

Deusa Thêmis

O homem deveria “despistar uma mulher enquanto estiver com a outra.” Essa foi a sentença que o juiz Carlos Roberto Loiola, de Divinópolis, Minas Gerais, proferiu sobre um caso envolvendo um triângulo amoroso.

Segundo matéria da Folha de São Paulo, 28/04/2012 – “o conselho dado ao alvo da disputa amorosa, diz o juiz, faz parte de uma estratégia para evitar outra briga.” E mais ‘Quando tiver na casa de uma e a outra ligar para ele, ao invés de falar a verdade, recomendo que diga que está na pescaria com os amigos. Evita briga, litígio, quiproquó e não tem importância nenhuma. Isso não é crime’, disse na ação o juiz.”

Um sujeito desses não deveria estar no cargo que ocupa.  Deturpar a qualificação do direito a partir de valores totalmente pessoais e anacrônicos.  No mínimo, esse juiz deveria ser afastado da magistratura.  E não foi só isso: pelo que pesquisei ele seguiu a mesma linha de “catarse pessoal” em várias outras decisões.

Perante Thêmis, Deusa da Justiça, os magistrados devem ser isentos, imparciais por isso a Deusa é representada por uma mulher com uma venda nos olhos.  Ela é “cega” para ser justa. Outro símbolo forte é a balança que tem o significado do equilíbrio, equidade que a justiça deve ter.

Nesse caso, o juiz tirou a venda da Deusa e proferiu uma sentença embasada em valores próprios, e certa moralidade pessoal, que mais parece uma imoralidade…

Em “conversa de boteco” é até possível relevar, mesmo discordando, esse tipo de “conselho”; porém, isso é inadmissível vindo do gabinete de um juiz.

Anúncios

6 Respostas to “Conversa de boteco vira sentença na justiça”

  1. G.S.J maio 28, 2012 às 22:28 #

    Discordo também, completamente. Do título à conclusão. Está mais para um desabafo, obedecidas a norma culta e todas as regras ortográficas da nossa língua portuguesa – Justo isso e por que não? Compreendo que o lugar é adequado para isso. Aliás, parabéns pelo blog e seu propósito. Pretendia colar aqui a Carta Resposta publicada pelo magistrado que proferiu a polêmica sentença e escrever algo. Mas, acho que M.V.E.L; no comentário acima, esgotou o assunto e causou o mesmo desconforto aos olhos que o artigo do blog deve ter causado a quem o Direito melhor procura compreender. Mas isso é só a minha opinião. Forte abraço.

    • Cristina Cipolla maio 29, 2012 às 17:02 #

      Olá, Geordanio
      Obrigada pelo comentário. Eles são parte fundamental de qualquer blog. Servem para ampliar, criticar e complementar o texto do(a) autor(a).
      Agradeço também pelo elogio ao Blog.

  2. M.V.E.L. maio 6, 2012 às 21:14 #

    Descordo. Esse papo de perante Thêmis, Deusa da justiça… é a melhor tese que você tem? A sentença desse juiz foi criticada pela massa, mas elogiada por muitas autoridades judiciais, inclusíve cardeais, assim como outras sentenças, por exemplo a do caso da mulher barrada em boate por estar com decote exagerado. Você devia pesquisar mais, ou pelo menos, citar quais as sentenças que, do seu ponto de vista, foram “pessoas e anacrônicas”, justificando em seguida. Em momento algum o juiz deturpou a qualificação do direito, apenas inovou em sua sentença, coisa que a grande maioria ipócrita dos advogados não entendem, não aceitam. Não observei também caráter pessoal. Se o homem ja está fazendo uma coisa imoral (trair a mulher), faz mais uma (mente para ela)… Afim de se evitar confusões. E se a namorada do disputado disparasse um tiro de 38 contra a amante? E aí? Se essa grande massa de blogueiros entendessem que o direito se aprende estudando, mas se exerce pensando, os post’s, as publicações, não seriam tão pobres de conteúdo, não seriam tão mesquinhas. Recentemente uma jornalista exagerou na crítica a esta sentença e agóra responde por danos morais… isso sim é triste. Melhor, leiam antes de atribuirem suas precipitadas conclusões, a carta-resposta publicada pelo juiz, graças ao abuso dos jornalistas sobre tal sentença, depois conversamos. http://fmanha.com.br/blogs/pontodevista/2012/05/06/juiz-divulga-carta-sobre-sentenca-polemica/

    • Cristina Cipolla maio 7, 2012 às 11:55 #

      Olá, Vinnicius
      Obrigada por manisfestar sua opinião. Acho válido e saudável quando o leitor discorda de algo que escrevi.
      Agradeço pelo link ref. a Carta do juiz ao jornal Folha da manhã online

  3. Cici Lora abril 29, 2012 às 1:38 #

    Muito justa a sua indignação. Endosso, assino em baixo. Ultrajante a atitude desse magistrado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: