Bagagem emocional

3 ago

As pessoas costumam confundir idade, com experiência de vida.  Uma pessoa mais velha, não necessariamente aprendeu mais com as experiências de vida, do que uma pessoa mais jovem; e vice-versa. 

A qualidade que damos às nossas experiências, é o que nos faz crescer como pessoas melhores.  É um processo que nos leva ao auto-conhecimento e nos faz compreender porque reagimos de tal maneira à uma determinada situação; tornando-nos capazes de fazer escolhas mais conscientes.  Ou não.

Não lembro de ter lido biografia alguma, onde fulano de tal tornou-se uma pessoa bem sucedida por não enfrentrar desafio algum na vida.   Os desafios estão aí para serem vivenciados e superados.

Algumas pessoas têm medo do que pode vir a acontecer, esquecendo que a vida está presente, agora.  Por conta desse medo e insegurança, frutos da “falta de experiência” elas apresentam um comportamento pouco natural; estão sempre na defensiva e tem dificuldade de agir.

A insegurança faz com que algumas pessoas  não confiem em si mesmas:  em seu valor pessoal,  seu potencial e capacidade de enfrentar a vida.  Consequentemente não acreditam em ninguém.  É uma máscara que funciona como proteção para impressionar e se fazer “respeitada” ou “temida”.  Quando na verdade, a pessoa no fundo se sente muito distante de quem verdadeiramente ela é.  Uma forma de ocultar sua própria  insegurança.

O orgulho, a arrogância, e a insegurança – para citar alguns -, em geral fazem parte daquelas  pessoas que estão mais preocupadas em ter, do que em ser e portanto, não possuem auto-conhecimento.  Por não se conhecer, procuram  passar uma imagem de uma pessoa segura.   São máscaras que buscam para compensar a falta de amor que sentem por si mesmas, pois possuem em geral uma necessidade de auto-afirmação.

O orgulho está diretamente relacionado à falta de amor-próprio, a ambição pelo poder e a aquisição de bens materiais.  Uma forma de compensar a sensação de vazio.  Essa necessidade de querer ter mais, pode ainda ser consequência do sentimento de inferioridade, e da sensação de fragilidade, desamparo e impotência presentes em muitos de nós.  Porém, esses sentimentos são mais intensos naqueles que nos primeiros anos de vida, não encontraram junto aos pais ou aos adultos com quem conviveram, o conforto, o acolhimento, e o amor que amenizassem esse desamparo.  

Na ânsia de ser admirada de alguma maneira através do externo, algumas pessoas  podem gerar em algum  momento, um sentimento crônico de insatisfação.  Pois nada poderá compensar a falta de contato com seu mundo interior, e  que sequer conhece.

Transforme o seu dia-a-dia em valiosa experiência de vida.   

Podemos começar aliviando o peso da mala, tirando aquilo que “pesa mais”.

O que acha?

Anúncios

2 Respostas to “Bagagem emocional”

  1. Mara agosto 4, 2011 às 18:53 #

    Cris,
    Vira e mexe a gente esvazia a mala, dalí um tempo tem que rever a bagagem…

    belo texto!
    beijo

    • Cristina Cipolla agosto 8, 2011 às 17:21 #

      Mara, ADOREI seu comentário! Muito bom!
      Pois eh, não basta “esvaziar a mala” uma ou duas vezes, e pronto. É um processo longo e contínuo, porém necessário se quisermos ter uma vida equilibrada…Como você bem disse, é preciso rever a bagagem sempre.
      Obrigada pelo feedback.
      Beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: